loader
Pecuaristas do Litoral se reúnem em Tramandaí

Pecuaristas do Litoral se reúnem em Tramandaí

Pecuaristas de Palmares do Sul, Cidreira, Balneário Pinhal, Tramandaí, Osório e Capivari do Sul participaram, na quinta-feira (03) à tarde, do 2º Seminário de Pecuária Familiar do Litoral Norte, que ocorreu no Salão Comunitário São João Batista, de Tramandaí. O encontro, além de servir como um momento de repasse de informações e orientações aos pecuaristas, concretizou-se como um momento de troca de experiências.
O 2º Seminário contou com a participação do gerente regional da Emater/RS-Ascar de Porto Alegre, Ademir Santin, o gerente do Banco do Brasil em Tramandaí, Erick Cardoso, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Edson Ricardo de Souza, e o presidente da Associação Comunitária dos Produtores Rurais de Estância Velha (Acoprev), Eugênio Souza da Silva.
Santin destacou que um dos principais objetivos da Emater/RS-Ascar é levar conhecimento aos produtores, por isso a importância deste evento, que tem a intenção de levar informações e auxiliar na melhoria da produção, da renda e da qualidade de vida das pessoas. “Contem sempre conosco, porque a Instituição existe para ajudar vocês”, ressaltou.
Na sequência, a veterinária da Emater/RS-Ascar, Thaís Michel, falou sobre o Bioma Pampa, o valor dele e a relação com a pecuária familiar. Segundo ela, o papel dos pecuaristas é fundamental para manter o Pampa, e a Emater/RS-Ascar está desenvolvendo ações para que se mantenha o pecuarista e o campo nativo. “Estamos trabalhando para que os produtores melhorarem os índices reprodutivos dos rebanhos, façam gestão da propriedade e gerem renda”, salientou.
Thaís também apresentou o projeto Manejo Conservacionista em Campo Nativo por Meio de Pastoreio Rotativo em Estabelecimentos da Pecuária Familiar, que é executado pela Emater/RS-Ascar com recursos de mais de R$ 968 mil, disponibilizados pela CPFL Renováveis, uma empresa brasileira de energia renovável pertencente a CPFL Energia. Pelo projeto, que será desenvolvido até 2021, serão beneficiadas 70 famílias de pecuaristas.
Alguns ajustes no manejo reprodutivo do gado de corte foram recomendados pelo veterinário da Emater/RS-Ascar, Gustavo Krahl de Vargas, para que os pecuaristas obtenham melhores resultados. Dentre as sugestões apresentadas pelo veterinário, a que recebeu maior destaque foi a Inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF), pois permite ao pecuarista desenvolver o melhoramento genético do rebanho, além de elevar os índices de prenhes e desmame. “Para ter bons resultados são necessários também outros manejos, como a seleção das vacas e novilhas, exame de touros para repasse, alimentação e sanidade do rebanho”, ressaltou.
Na sequência, o produtor de Tramandaí, Aurélio Weber, que é um dos que está utilizando IATF no rebanho, comentou os resultados que vêm alcançando com a utilização da técnica há dois anos. “Dá mais trabalho, mas tem mais resultado, o gado melhorou em 100% e a taxa de natalidade passou de 48% para cerca de 90%. Estamos muito satisfeitos e queremos melhorar ainda mais”, avaliou o pecuarista.
Já a veterinária da Emater/RS-Ascar, Sabine Kasinger, apresentou um resgate histórico da função do cavalo na história da humanidade e destacou o quanto ele contribuiu no trabalho, esporte e lazer, mas, principalmente, no trabalho agropecuário, como força de tração animal. Sabine fez ainda uma contextualização do momento atual da indústria do cavalo e depois apresentou como identificar o comportamento do cavalo na natureza, os equívocos no manejo do cavalo e que podem resultar em problemas de saúde física e etológica, a prevenção de acidentes e o manejo correto a ser seguido pelos pecuaristas ao utilizarem o cavalo para o trabalho no campo.