loader
Operação Casas de Areia investiga grupo suspeito de praticar estelionato

Operação Casas de Areia investiga grupo suspeito de praticar estelionato

Na sexta-feira (3), a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes de Lavagem de Dinheiro do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DRLD/Deic), deflagrou a Operação Casas de Areia, em Porto Alegre. A ação teve como finalidade a investigação de eventual crime de estelionato praticado por sócios e partícipes de um grupo econômico, formado por 16 empresas, que vendia imóveis e casas nas cidades de Imbé, Tramandaí e Xangri-Lá.
Segundo o delegado Marcus Vinicius da Silva Viafore, há suspeitas de que os integrantes do grupo assumiam, de maneira proposital, obrigações sem lastro financeiro para honrá-las com as vítimas. Foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão em Porto Alegre, nas casas e escritórios dos investigados. Dez imóveis pertencentes a uma das empresas do grupo econômico sob suspeita foram sequestrados, todos os bens imóveis das empresas e sócios do grupo econômico foram indisponibilizados judicialmente, suas contas bancárias foram bloqueadas, além de ter sido determinada a proibição dos integrantes de ausentarem-se do país.
Durante a ação, cujas investigações se desenvolveram nos últimos oito meses, foram apreendidas caixas de arquivos com diversos documentos, CPU’s, mídias externas, passaportes, fichários, três veículos com seus certificados de registro, celulares, joias e valores que estão sendo contabilizados. “Supõe-se que haja, no mínimo, 200 vítimas das condutas investigadas, sendo que o grupo já responde a 400 ações cíveis relacionadas aos empreendimentos”, disse Viafore.