loader
MAPA DO DISTANCIAMENTO CONTROLADO TEM REGIÃO DE SANTA MARIA EM BANDEIRA VERMELHA

MAPA DO DISTANCIAMENTO CONTROLADO TEM REGIÃO DE SANTA MARIA EM BANDEIRA VERMELHA

Como está em sistema de cogestão, pode adotar medidas menos restritivas, mas classificação interfere no retorno das aulas presenciais. Demais 20 regiões seguem em bandeira laranja.

O mapa preliminar do distanciamento controlado, divulgado no fim da tarde desta sexta-feira (2) pelo governo do estado, tem apenas a região de Santa Maria em bandeira vermelha. As demais 20 seguem em bandeira laranja, conforme a classificação atual.
Como adotou o sistema de cogestão, a região pode adotar medidas menos restritivas, equivalentes à bandeira laranja, desde que constem no plano regional. Porém, a classificação de risco alto para o coronavírus interfere no retorno às aulas presenciais, que exigem duas semanas consecutivas em bandeira laranja ou amarela.
As prefeituras e associações municipais têm até as 6h de domingo (4) para apresentarem o recurso. A versão final será aprovada na segunda-feira (5) e é válida entre 6 e 12 de outubro.
Alta nos índices de hospitalizações em Santa Maria
Entre os motivos que levaram a elevar o nível do risco em Santa Maria estão o aumento de casos de internações em UTI por síndrome respiratória aguda grave, de 36 para 39, e por Covid-19, de 34 para 37. Com isso, houve redução de leitos livres, tanto na variação como na razão de leitos livres por ocupados.
Outro fator que fez com que a região ficasse em bandeira vermelha foi o aumento de 7% no número de óbitos, de 14 para 15 nas últimas duas semanas.
A região é formada por 32 municípios, que reúnem 551,9 mil moradores (4,9% da população gaúcha). Deste total, 17 cidades, em que moram 87,9 mil pessoas (0,8% do RS) podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias.
O número de novas hospitalizações no estado, que estava em queda na semana passada, subiu 6% nas últimas duas semanas: de 793 para 840. Já a quantidade de leitos livres, que havia crescido, reduziu novamente – de 684 para 659 (4%).
O número de óbitos ficou estável entre as duas últimas quintas-feiras, baixando de 273 para 272.
.
Cenário repete a primeira semana
A única vez em que o modelo teve uma região em bandeira vermelha foi na primeira semana, entre 11 e 17 de maio. Na época, apenas Lajeado permaneceu com classificação de alto risco. (Veja as mudanças semana a semana)
Porém, naquela semana e nas quatro seguintes havia uma variação entre bandeiras laranja e amarela.
Desde a primeira semana de julho, no entanto, não houve nenhum mapa com regiões em bandeira amarela. Esta é a 10ª semana seguida em que as bandeiras variam de laranja para vermelha.
.
Fonte: g1.globo.com