loader
Assembleia aprova mudança de nome da Estrada do Mar

Assembleia aprova mudança de nome da Estrada do Mar

Deputados aprovaram a mudança de nome da Estrada do Mar.

Aprovado pela Assembleia, o projeto segue agora para a sanção do governador Eduardo Leite.

Pela proposta do deputado Luiz Fernando Mainardi, a Estrada do Mar passará a se chamar Rodovia Nelson Gonçalves, gaúcho de Livramento apontado como uma das mais belas vozes da história da música brasileira.

Seu maior sucesso é A Volta do Boêmio, composta em 1957.

JUSTIFICATIVA DO PROJETO

A Rodovia RS-389, também conhecida como Estrada do Mar, que liga os município de Osório a Torres, tem características peculiares por ser uma Rodovia pensada na sua origem para contemplar o tráfego de turistas que circulam pelo Litoral Norte gaúcho, especialmente no período de férias de verão.

Desse modo, nada mais justo vincular tal Rodovia ao nome de um gaúcho que construiu uma trajetória de destaque na cultura nacional, e sobre a qual há pouco reconhecimento por parte das instituições e da comunidade do Rio Grande do Sul.

Nelson Gonçalves nasceu em Santana do Livramento/RS, em 21 de junho de 1919, registrado com o nome de Antônio Gonçalves Sobral, e é considerado um dos maiores nomes da Música Popular Brasileira.

Antes da fama, porém, foi jornaleiro, mecânico, engraxate, polidor, tamanqueiro, garçom e boxeador. Estão entre seus maiores sucessos, como compositor e/ou cantor, músicas como “Maria Bethânia”, “Normalista”, “Caminhemos”, “Renúncia”, “Última Seresta”, “Meu Vício É Você” e “A Volta do Boêmio”, seu maior sucesso.

Mas Nelson Gonçalves não ficou restrito ao conforto de permanecer intérprete somente de seus sucessos, buscou valorizar compositores mais contemporâneos, gravando canções de Ângela Rô Rô (Simples Carinho), Kid Abelha (Nada por Mim), Legião Urbana (Ainda É Cedo) e Lulu Santos (Como uma Onda).

Foi ganhador do Prêmio Nipper da RCA, dado aos que permanecem muito tempo na gravadora, sendo somente Elvis Presley outro agraciado.

Durante sua carreira, gravou mais de duas mil canções, 183 discos em 78 rpm, 128 álbuns, vendeu cerca de 78 milhões de discos, ganhou 38 discos de ouro e 20 de platina.

É o 3º maior vendedor de discos da história do país (mais de 78 milhões de cópias), numa lista encabeçada por Roberto Carlos (120 milhões) e a dupla Tonico & Tinoco (150 milhões).

Dentre as histórias sobre sua trajetória, disseminadas por seus fãs clubes destaco a que segue:Em maio de 1966, o cantor e compositor foi preso em flagrante, em casa, diante dos próprios filhos como usuário de cocaína.

Alguns dias depois, a direção do presídio recebeu um abaixo assinado dos 3.000 presidiários, onde eles pediam que suas penas fossem aumentadas em um dia cada um, e que em troca Nelson Gonçalves fosse libertado. Durante o banho de sol, naquele dia, mais de 3.000 vozes emocionadas dos presidiários entoavam A Volta do Boêmio, que de forma dramática, ecoava pelos corredores tristes do presídio.

Nelson Gonçalves deu a volta por cima, retomou sua carreira e atuou ativamente até falecer em 18 de abril de 1998. Duas semanas antes de falecer, assinou contrato com Elizeu Ewald para que este pudesse realizar sua cinebiografia.

Naquela Mesa

naquela mesa ele sentava sempre

e me dizia sempre o que é viver melhor

naquela mesa ele contava histórias

que hoje na memória eu guardo e sei de cor

naquela mesa ele juntava gente

e contava contente o que fez de manhã

e nos seus olhos era tanto brilho que mais que seu filho

eu fiquei seu fã

eu não sabia que doía tanto

uma mesa num canto, uma casa e um jardim

se eu soubesse o quanto dói a vida

essa dor tão doída, não doía assim

agora resta uma mesa na sala

e hoje ninguém mais fala do seu bandolim

naquela mesa ta faltando ele

e a saudade dele ta doendo em mim

naquela mesa ta faltando ele