Terça, 29 Julho 2014 17:57

Teste do coraçãozinho para todos os recém-nascidos

Exame simples e de baixo custo ajuda a detectar cardiopatias congênitas críticas

Recentemente incorporado à triagem neonatal do Sistema Único de Saúde pelo Ministério da Saúde, a oximetria de pulso contribui para detectar cardiopatias congênitas precocemente. A Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) defende o instrumento para diagnóstico de distúrbios do coração nos primeiros dias de vida.

A apresentação clínica do recém-nascido com cardiopatia congênita pode variar da ausência de sintomas até o colapso cardiovascular.

“Lembrando que como todo teste de triagem, é possível que o exame venha alterado e durante a avaliação cardiológica não se confirme a cardiopatia. Ou pode ocorrer o contrário, o teste apresenta-se normal, mas a criança tem cardiopatia, o que é mais raro. Claro que o diagnóstico antenatal é melhor, pois o conhecimento prévio permite programar o nascimento em local com serviço cardiológico. Entretanto, indica-se a ecocardiografia fetal apenas nos casos em que a gestante apresenta fatores de risco, tais como diabetes ou cardiopatia congênita. Em situações em que não foi realizado o exame, é importante realizar o teste do coraçãozinho”, destaca dra. Lilian dos Santos Rodrigues Sadeck, vice-presidente do Departamento de  Neonatologia da SPSP.

Por meio de um oxímetro de pulso, é medida a saturação de oxigênio no membro superior direito e em um dos membros inferiores. O ideal é que a saturação esteja maior do que 95% e a diferença entre os membros superiores e inferiores seja menor do que 3%. Caso venha alterado, o exame deve ser repetido após uma hora. Com resultado persistente, é indicado avaliação cardiológica e ecocardiograma. O bebê não recebe alta até o esclarecimento da alteração e prosseguimento no tratamento.

“O teste identifica a maioria das cardiopatias críticas. Se realizado entre 24 e 48 horas de vida, tem sensibilidade de 80% e especificidade próxima de 100%”, comenta dra. Liane Hulle Catani, vice-presidente do Departamento de Cardiologia da SPSP.

As cardiopatias congênitas, em geral, atingem oito a cada mil nascidos vivos. Os quadros críticos são dois em mil bebês.

“Entre as possíveis cardiopatias congênitas críticas estão interrupção de arco aórtico, alguns tipos de transposições das grandes artérias, atresia da artéria pulmonar e síndrome de hipoplasia do coração esquerdo, que se não recebem tratamento adequado precocemente, podem levar à morte”, alerta dra. Liane.

 

Avaliação antenatal

O ideal é identificar as cardiopatias congênitas na vida intrauterina. Mães que apresentam fatores de risco como a própria CC e diabetes aumentam as possibilidades de o bebê possuir a mesma patologia de 10 a 14% e de 5 a 30%, respectivamente.

Ao detectar a cardiopatia congênita no feto, a gestante deve ser encaminhada para um serviço de pré-natal de risco, com atendimento especializado, UTI neonatal e cardiológica para o RN logo após o nascimento. O diagnóstico antenatal, os cuidados neonatais e a abordagem cardiológica precoce desses pacientes melhoram muito a chance de sobrevida, especialmente no grupo de RN portadores de CC crítica.

 

ESPAÇO MÉDICO

 

Hora do Mamaço em prol do aleitamento

O aleitamento materno é um ato de amor e de proteção à criança. Em defesa desse direito, mães de todo o país se unirão no dia 2 de agosto, às 10h, pela conscientização da amamentação. Promovida pela organização comunitária de Aleitamento Materno Solidário (AMS), com o apoio da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), a Hora do Mamaço ocorrerá nos pontos turísticos de cada cidade participante, com amamentação simultânea.  Em São Paulo, capital, a 3ª edição do evento será realizada na Casa das Rosas, e contará com a participação de médicos SPSP. Os profissionais irão orientar às mães e presentes sobre os cuidados e a importância da amamentação.

 

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Banneronplay
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br