Moradores já cansaram de pedir providências para os administradores municipais

 

A Secretaria da Zona Sul vem deixando a desejar nos serviços básicos de atendimento para a população, a redução de custos com a perda de mais de 50 funcionários e a ausência de um secretário para a Pasta são alguns dos fatores que agravam os problemas enfrentados pela comunidade.

“Quando os problemas se agravam demais, nós reunimos um grupo de moradores e vamos diretamente na Secretaria porque não adianta ligar, ninguém atende. Mesmo ouvindo nossas reclamações dificilmente somos atendidos”

Falta de capina, buracos nas ruas, acúmulo de entulhos e água parada nos meios-fios são as principais reclamações citadas pelos moradores da Zona Sul. Andando pelas ruas dos balneários: Nova Tramandaí, Oásis e Jardim Atlântico é possível contar nos dedos os locais que estejam com os serviços básicos de manutenção em ordem.

Quando desejam entrar em contato com a Secretaria da Zona Sul, os moradores cansam de ligar e ninguém atender e precisam se dirigir pessoalmente até a Administração Municipal. É o que conta a tesoureira da Associação de Moradores de Nova Tramandaí, Marlei Teresinha da Rosa. “Quando os problemas se agravam demais, nós reunimos um grupo de moradores e vamos diretamente na Secretaria porque não adianta ligar, ninguém atende. Mesmo ouvindo nossas reclamações dificilmente somos atendidos”, lamenta a moradora.

Marlei diz ainda que o principal problema na rua em que mora a Guanabarra esquina com a Rio Grande do Sul é a falta de capina, pois a água parada acaba ficando acumulada no meio fio causando mau cheiro, proliferação de mosquitos e dificultando a vida da comunidade. “As pessoas vem visitar a cidade e perguntam: - Vocês não tem uma prefeitura, não pagam os impostos? - Não é possível um balneário estar tão abandonado. E eu respondo, - Sim pagamos os nossos impostos, mas não vemos eles serem revertidos nem nos serviços básicos, esse ano ainda não passaram aqui nem para cortar a grama”, reclama.

“Não adianta nada pedir, eles não vem aqui nem fazer os serviços básicos de capina”

E esse não é um problema isolado da rua Guanabarra, a rua Rio Grade do Norte, a rua Piaui e a rua Paraná são exemplos de locais que não estão recebendo atenção da Administração Municipal. O morador Valcir Ávila reside na rua Piaui e diz que já foi quatro vezes até a Secretaria da Zona Sul este ano para que cortassem a grama da sua rua e até agora nada foi feito. “Não adianta nada pedir, eles não vem aqui nem fazer os serviços básicos de capina”.

Se em Nova Tramandaí a Administração Municipal tem deixado a desejar, em Oásis os problemas são semelhantes, há muitas ruas que precisam de capina e limpeza, é o caso da rua Ivo Schneider. O morador Valdomiro Correa Lovato diz que os próprios moradores se organizam para fazer a capina e tentar limpar as ruas, no entanto, em Oásis em todas as cidades há aquelas pessoas que jogam os entulhos nas calçadas e terrenos baldios o que estraga ainda mais o aspecto visual do balneário. “A prefeitura não limpa, e o povo é mal educado, joga lixo em qualquer lugar, o resultado é esse que estamos vendo, um balneário que parece abandonado”.

No Jardim Atlântico, as ruas são diferentes, mas os problemas são os mesmos, lixo nas esquinas, buracos, água parada e principalmente falta de capina. É o que conta a moradora Joana Pacheco, “eu não preciso falar nada, as ruas falam por si, é muito descaso com a Zona Sul, não adianta nada reclamar, não temos nem secretário mais”.

Na semana passada a Equipe do Jornal Dimensão ligou para secretaria da Zona Sul por três dias consecutivos de segunda-feira (16) e quarta-feira (18) e ninguém atendeu ao telefone. Na quinta-feira (19) fomos até a Secretaria, e como a Pasta não tem um secretário nomeado, pedirmos para falar com o Chefe de Gabinete, Valdir Borges, que não estava no local, mas nos atendeu pelo telefone celular.

“Peço desculpas para a população e garanto que estamos fazendo todo o possível com os três operários e as duas máquinas que temos para trabalhar”

De acordo com Borges, devido a falta de repasses do Governo Estadual e Federal para a Saúde e Educação, e também pela redução no valor recebidos dos royaltys, a Administração Municipal precisou cortar gastos, e para diminuir as despesas 59 operários foram demitidos no final da temporada de verão, restando apenas seis para realizar os trabalhos, destes, três estão em licença saúde, dessa forma, apenas três pessoas estão na ativa. “Precisaríamos de no mínimo 60 funcionários para atender a demanda, hoje temos somente três atuando”, diz Borges.

Além disso, também faltam equipamentos como uma retroescavadeira para realizar a raspagem das ruas. Hoje a secretaria conta somente com uma bobiquete e uma pá carregadeira e com esses duas instrumentos, segundo o chefe de gabinete, está impossível de atender todos os pedidos da comunidade.

Borges ressalta também que desde março foram realizados os serviços básicos de capina na rua Parma entre a Feliciano Bernardes e a Roma, na rua Paraíba entre a Porto Alegre e Novo Hamburgo, e em parte das ruas Porto Alegre e Salvador, ainda assim ele admite que é muito pouco. “Peço desculpas para a população e garanto que estamos fazendo todo o possível com os três operários e as duas máquinas que temos para trabalhar”.

Sobre a dificuldade em atender ao telefone, o chefe de gabinete informa que a linha estava com problemas e já foi consertada.

Borges garante ainda que está conversando com o prefeito Edegar Rapaki para que a situação da Zona Sul seja repensada, uma das possibilidades é que seja contratada uma empresa terceirizada para executar os serviços básicos, mas até agora nada foi decidido. 

Publicado em Tramandaí

 

Brasileiro que viveu no Japão diz que se sentiu falta do SUS

 

Na sexta-feira (27) é comemorado o Dia Nacional do Serviço de Saúde, a data faz referência ao nascimento do médico João Severiano da Fonseca em 1836 que ajudou a combater a cólera e esteve sempre pronto a desenvolver a profissão mesmo em situações extremas. Apesar de ser alvo de muitas críticas o SUS – Sistema Único de Saúde salva milhares de vidas diariamente de forma gratuita, sendo que em outros países, com a privatização deste sistema é preciso pagar para receber qualquer atendimento.

No SUS é possível receber atendimento gratuito para praticamente todas especialidades, o Sistema ainda disponibiliza exames, remédios, internações e cirurgias. A demora para o atendimento é a principal reclamação dos pacientes, ainda assim, comparado a outros países é possível dizer que no Sistema de Saúde Pública brasileiro, o ser humano vem em primeiro lugar, e não o dinheiro.

“Para a minha surpresa quando cheguei ao Hospital nenhum médico havia encostado no meu menino, ele estava sentado esperando o depósito em dinheiro para que pudesse ser atendido, pois no Japão não existe hospital Público”

Prova disso, é o depoimento do técnico em informática Fernando Fragoso, ele foi para o Japão pensando em juntar dinheiro e retornar a terra natal, no entanto, assim que chegou ao país estrangeiro já sentiu a diferença. “Eu estava trabalhando na fábrica, havia acabado de chegar ao Japão quando me ligaram da escola do meu filho de 11 anos, dizendo que ele estava em um Hospital com o braço fraturado em dois lugares. Havia se machucado na escola, o que é normal”, diz Fragoso, que respira e continua o relato, “mas, para a minha surpresa quando cheguei ao Hospital nenhum médico havia encostado no meu menino, ele estava sentado esperando o depósito em dinheiro para que pudesse ser atendido, pois no Japão não existe hospital Público. Eu não tinha o dinheiro, que daria cerca de R$2 mil, ainda não tinha recebido, a sorte foi que um homem também brasileiro viu a situação e me ofereceu ajuda, disse para eu ficar tranqüilo, foi no banco sacou o dinheiro e pagou a consulta, me deixando apenas um cartão com o seu telefone, assim que recebi eu acertei com ele”.

“No Japão, o Hospital funciona como uma loja, se tu tens dinheiro tu leva o produto que é o atendimento médico, se não tem, volta para casa. Tudo gira em torno do dinheiro, não em torno das pessoas”

Fragoso diz que há duas opções de planos de saúde no Japão ou a pessoa é descontada pela Prefeitura ou diretamente no local de trabalho. A forma mais barata é pela Prefeitura e custa em torno de R$600 ao mês. “Esse plano da direito a tudo, remédios, internação, consultas, tudo extremamente rápido com equipamentos sofisticados e toda atenção dos profissionais, mas é preciso ter dinheiro quem não tem, não é atendido”.

O técnico ainda complementa, “No Japão, o Hospital funciona como uma loja, se tu tens dinheiro tu leva o produto que é o atendimento médico, se não tem, volta para casa. Tudo gira em torno do dinheiro, não em torno das pessoas”, revela.

“Ás vezes a pessoa só vai ter noção do que é SUS quando sair do Brasil, eu digo que é um sistema razoável pela gratuidade, claro se eu tivesse no Japão receberia o meu diagnóstico em dez minutos, mas a diferença que eu estaria pagando caro para isso, aqui é tudo de graça”

Fragoso relata ainda que recentemente precisou de atendimento médico, pois estava com uma forte dor na região do coração. Ele foi ao Posto 24 Horas em Tramandaí, e só saiu dali após saber o que estava errado. “O que eu posso dizer, bem perdi o dia inteiro, mas fiz três exames de sangue, me examinaram, deram os medicamentos e no final descobri que era uma dor muscular, e sim demorou, mas recebi tudo isso de graça”, diz o técnico que complementa, “às vezes a pessoa só vai ter noção do que é SUS quando sair do Brasil, eu digo que é um sistema razoável pela gratuidade, claro se eu tivesse no Japão receberia o meu diagnóstico em dez minutos, mas a diferença que eu estaria pagando caro para isso, aqui é tudo de graça”.

Publicado em Tramandaí

 

 

A Administração Municipal de Tramandaí através da secretaria de Educação e Cultura realizou obras de melhorias no espaço físico da Escola Municipal de Ensino Fundamental Dom Pedro I, localizada no bairro Parque dos Presidentes.

Na manhã de  quarta-feira (25), o prefeito Edegar Rapaki, acompanhado da secretária de Educação e Cultura Liane Freitas, vice-prefeito Clayton Ramos, vice-presidente da Câmara de Vereadores, Ver. Maria Teresinha de Lima Silveira, diretora e vice-diretor da EMEF Dom Pedro I, Núbia Santos e Rafael Souza, vereadores, secretários municipais, representantes de entidades, professores, pais e alunos fez a entrega dos novos espaços a comunidade escolar.

Faz parte das melhorias a construção de calçada na parte externa ao redor da escola, área para estacionamento, acesso lateral com portão(guarita) e área coberta para entrada na escola, pintura do prédio e construção de mais uma escada para acesso as salas do piso superior. Após os pronunciamentos foi feito o descerramento da placa de inauguração, apresentação dos alunos do 5º ano e atividade física com o Prof. Maurício Petry, com a participação de alunos, professores e autoridades, como parte das atividades do Dia do Desafio 2016.

Sob a direção da professora Núbia Costa, a escola atende atualmente  800  alunos  nos turnos da manhã e tarde, do 1º ao 9º ano.

 

Publicado em Tramandaí

 

A Administração Municipal de Tramandaí através da secretaria de Pesca e Agricultura em parceria com a Prefeitura de Imbé está trabalhando na elaboração do projeto de Monitoramento de curto e médio prazo da produtividade pesqueira artesanal, dos municípios de Imbé e Tramandaí.

Na manhã de quinta-feira(18), estiveram reunidos representantes dos município de Tramandaí e Imbé,(secretarias de Pesca e Agricultura e Meio Ambiente), Ceclimar, secretaria do Desenvolvimento Rural do RS, Fundação Zoobotânica, IBAMA, Patram e Sindicato dos Pescadores para tratar da elaboração  e da realização de cada uma de suas etapas.

O objetivo do projeto é a realização do monitoramento da produtividade pesqueira(bagre,camarão,siri,e tainha) e das características da pesca artesanal nos municípios de Imbé e Tramandaí, com ênfase  na pesca do bagre. Segundo o secretário de Pesca e Agricultura de Tramandaí, Selmar Liotti,  a pesca será monitorada na região do estuário do rio Tramandaí e nas águas marinhas adjacentes(praia).

Liotti destaca que  este monitoramento terá três etapas, principais que podem ser realizadas em determinados momentos simultaneamente. As etapas do projeto são a Educação e informação ambiental, Caracterização da atividade pesqueira e Monitoramento da atividade pesqueira. O projeto será custeado com recursos dos municípios de Imbé e Tramandaí.

Publicado em Tramandaí

 

A Prefeitura de Tramandaí através da secretaria municipal de Educação e Cultura promove no sábado (4/6), uma Festa Junina com a participação de escolas da cidade.  Um grande arraiá será montado no Centro Municipal de Eventos nas margens da Lagoa do Armazem em Tramandaí.

Entre as atrações estão às apresentações de dança de quadrilha, danças caipiras, dança country com alunos das escolas,  correio elegante, e em um dos pavilhões do Centro de Eventos as escolas montarão bancas para a venda de quitutes doces e salgados típicos da festa junina como, pipoca, pinhão, amendoim, bolo, pastel, cachorro quente, rapaduras e bebidas.

A festa será uma grande confraternização entre os alunos, professores e comunidade tramandaiense e acontece das 15h as 19h. O Arraiá de Tramandaí 2016 é aberto a comunidade, programe-se e não perca! Venha se divertir. O acesso ao local é gratuito. 

Publicado em Tramandaí

 

O campo de futebol localizado na Avenida Salgado Filho, Balneário Santa Terezinha, está ganhando cerca nova. Conforme o diretor do Departamento de Desporto, Caio Teixeira Santana, os trabalhos estão sendo executados pela equipe da Subprefeitura de Santa Terezinha. O objetivo é deixar o campo preparado para o Campeonato Municipal de Futebol de Campo, dando mais segurança às equipes e torcedores.

 

Publicado em Imbé

 

 

A Fiscalização Tributária, órgão da Secretaria Municipal da Fazenda, autuou, na quarta-feira (18) uma empresa que comercializava móveis de forma irregular no Município. De acordo com o responsável pelo setor, Cristian Castilhos, o caminhão foi instalado em área pública sem autorização e sem recolher as taxas aos cofres do Município.

O comerciante foi instruído, a recolher seus móveis e foi escoltado até a saída do município, com o apoio da guarda municipal. “A comercialização irregular, principalmente na baixa temporada, prejudica nossos empresários. As fiscalizações continuarão intensas”, garante o prefeito Pierre Emerim.

 

 

Publicado em Imbé

 

O Departamento de Serviços Elétricos, da Secretaria Municipal de Obras e Viação (SMOV), realizou em abril 511 atendimentos na iluminação pública. Entre os trabalhos estão substituição de lâmpadas e reatores, manutenção dos prédios públicos, manutenção na Avenida Beira Mar, na Guarita Central e o Parque de Eventos.

As solicitações de manutenção da iluminação pública podem ser realizadas na SMOV, no balcão de informações ou ainda pelo telefone 3627-8231. “Continuamos sempre buscando melhorias e uma resposta imediata as solicitações dos contribuintes”, salienta o prefeito Pierre Emerim.

Publicado em Imbé

Uma das opções de cultura do município é a Biblioteca Oliveira Silveira, localizada no Centro Cultural José do Patrocínio. Inaugurada em novembro de 2015, a Biblioteca Municipal ‘Oliveira Silveira’ – temática na Cultura Negra e Etnias do Litoral, foi criada através da Lei Municipal nº 5684 de 10 de novembro de 2015.

A Biblioteca situada na rua Barão do Rio Branco, 1096, centro de Osório, atende das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h.

Visite e conheça o rico acervo. Um convite da Prefeitura de Osório/Assessoria de Cultura.

 

Publicado em Osório

 

Através da proposição do Presidente do Legislativo Osoriense, Vereador Gilmar Luz, a Associação Comercial e Industrial de Osório - ACIO foi homenageada nesta segunda-feira (23), pelos seus 85 anos de fundação.

A solenidade reuniu a presença de todos os Vereadores; Presidente da ACIO Jorge Ramos; Vice-Prefeito Eduardo Renda; Comandante da 1ª Companhia de Policiamento do 8º BPM, Capitão Giboski; diretores da ACIO, empresários locais e diversas autoridades que vieram comemorar esta importante data.

A Associação Comercial Industrial e de Serviços de Osório, foi fundada em 23 de Abril de 1931, com 169 sócios registrados. De 1931 a 1943 passou por um período de instabilidade e inércia, devido à crise econômica em virtude da grande recessão de 1929.

A ACIO teve como seu primeiro endereço na Rua Bento Gonçalves, 1022 no centro de Osório. Em 2008, em uma parceria com o Sindilojas Osório, fez um dos maiores investimentos de sua história, adquirindo sua nova sede social, situada a Rua João Sarmento, 249. A sede da entidade conta com salas para reuniões, eventos, festas, cursos, palestras entre outros.

A Associação é também filiada a Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul – FEDERASUL, onde há muitos anos possui um de seus Diretores na Vice Presidência Regional e a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul – FIERGS.

A 16ª Legislatura da Câmara de Vereadores de Osório parabeniza todos aqueles que contribuíram para o crescimento desta importante entidade nestes 85 anos de história.

 

Publicado em Osório
Pagina 1 de 3
Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Banneronplay
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br