Sexta, 14 Agosto 2015 13:23

Animais – porque amar tanto?!

 

Meus amores, a ‘coisa’ hoje não está fácil, pois a Gorda - uma das minhas Ordinárias foi internada, a cachorrinha da Bruna (minha jornalista) está enfrentando uma batalha pela vida (cinomose) e o cachorro do Felipe (nosso amigo e colaborador), também está doente e sendo medicado. Ou seja, é muito sofrimento para um dia só... Sei que hoje centenas de outros animais estão sofrendo e lutando pela vida, muitas vezes sem o atendimento adequado, pois talvez não tenham nem donos pra lhes dar o mínimo de conforto nestas horas difíceis, e sofro também por eles. Meu drama começou na madrugada, quando por volta das 4h fui ver as gurias, porque achei os latidos estranhos – mãe de peludos nunca se engana, pois conhecemos nossos cachorros pelo ‘tom’ do latido. Ao amanhecer o coração apertado se confirmou e a Gorda teve que ser levada para a clínica veterinária, onde entrou querendo morder todo mundo de ciúmes de mim (eu amo isto, este carinho dela em querer me proteger) e de onde espero que saia mais ‘ordinária’ do que quando entrou. Rezo a Deus e a São Francisco de Assis para que ampare e cure minha peluda, bem como, salve a vida da Pagú (da Bruninha) e do Billy (do Felipe). Nas minhas orações diárias sempre peço saúde pra minha família, pros meus peludinhos e pra todos os peludinhos do mundo, e hoje não será diferente, pois tenho muita fé no Criador. Só quem ama ‘de verdade’ os animais entende todo este ‘chororô’ da minha parte, e este meu estado de espírito não tão ‘animado’ hoje. Confesso que pensei em ‘tentar’ escrever sobre algo empolgante, etc. e tal, porém, não consegui inspiração porque a Gorda não me sai da cabeça. A cena horrorosa de todo aquele sangue no chão do consultório, a carinha de apavorada dela (talvez pensando que a tenha sido deixada pra trás), enfim. Não sou forte o suficiente para ‘passar por cima’ de fatos como este e que envolvam os peludos. Às vezes fico me perguntando por que AMO TANTO estas criaturinhas?! Porque sofro tanto?! Por que ‘cargas d’água’ o amor sempre vem aliado à dor, quando o assunto é relacionamento (homem x mulher), e/ou com os animais?! Confesso sem nenhuma vergonha que sempre sofro muito mais quando os meus animais se vão. Terminar uma relação com um homem, ok, a dor é natural e se vai com o tempo, pois sempre vamos encontrar alguma lembrança ruim do relacionamento com aquela pessoa e isto nos faz mudar o sentimento. Mas, e com os animais? Como buscar lembrança ruim? Como encontrar motivo para sentir magoa, rancor ou qualquer outro sentimento negativo? É impossível, porque estes peludos só sabem nos dar amor, carinho e gratidão. Talvez por isto tudo soframos tanto quando eles adoecem ou então, são levados pro céu dos peludinhos. Não sei explicar, mas comigo é assim - fico ‘imprestável’ pra tudo e as horas parecem não passar. Minhas amigas (os), me desculpem pela busca do ombro amigo (aqui e no face), mas assumo minha fraqueza nestas horas e todo carinho é  sempre bem vindo. Na próxima semana prometo me esforçar para alegrá-los com boas notícias sobre nossos anjos de 4 patas e com meus escritos otimistas, ok? Até lá, que Deus nos abençoe e proteja todos os animais. Bjks, sorrisão no rosto, força na peruca e vamu que vamu, porque carro parado não pega carreto.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Bannerbaixo2
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br