Sexta, 10 Julho 2015 12:45

Eu escolho a vida...

 

Olá meus amores, aqui estamos para mais uma semana de conversa e troca de energias... Quando falo ‘troca de energia’ soa meio ‘coisa de doido’, né?! Fica parecendo loucura mesmo, pois se vocês apenas leem e não podem verbalizar o que estão sentindo neste momento, que troca de energia é esta?! A única certeza que tenho é que ‘mando’ sempre todas as melhores vibrações pra vocês e penso que o retorno é tão bacana quanto. Mas confesso - muitas vezes fico aqui pensando na forma como cada um (a) reage ao chegar neste Cantinho para ler os escritos da vez. Quem me conhece sabe que sou bicho curioso e que nada escapa do meu olhar atento e muito menos, da minha intuição aguçada e certeira. Mas, se não os vejo, como saber o que esperar? Como saber de que forma agir? Quais palavras escolher para prender a sua atenção nestas linhas?! Pois é... não existe fórmula para prendê-las (os) aqui, por isto sigo escrevendo apenas o que meu coração manda – às vezes brava, em outras doce, às vezes repetitiva e com esta mania de achar que tudo pode ser melhor, mas invariavelmente, sempre 100% sincera e segura. Sincera, pois sentimento é o que me move e, graças a Deus e a educação que recebi da minha mãe (principalmente), tenho muita fé e coração bom (sem falsa modéstia). E segura, pois quem age movido pelo amor, pode até sofrer desilusões, mas nunca desiste de amar e querer bem. Eu acredito nisto e sei que o Pai do Céu nos revitaliza todos os dias com descargas intermináveis de amor e esperança. E, refletindo sobre o quanto me faz bem estar por perto de quem amo, do quanto eu amo ‘conversar’ com vocês através deste espaço e pessoalmente (quando os encontro por aí) é que me dei conta de que nosso tempo nesta vida é limitado, ou seja, não vamos ficar pra semente. Que pena isto... Que pena saber que não serão eternas nossas conversas, que pena imaginar que um dia não estarei mais aqui, nem mais ali e em lugar nenhum. Que tristezinha bate saber que somos mortais e que temos que deixar quem amamos, ou sermos ‘deixados’ por eles na hora da morte. Tá eu sei... Muitas (os) já estão pensando: ‘que papo sem graça este negócio de falar em morte, justo tu (no caso eu) que sempre transmite coisas positivas, etc. e tal’. Sim, vocês têm razão sobre a morte ser um ‘negócio’ xarope e eu também não curto falar sobre isto, mas é a ordem natural minha gente! A gente nasce, cresce e morre! Vejam bem, estamos no mês de julho (hoje quarta-feira – 08/07/2015) e, no dia 21/07 eu faço aniversário e completo 48 anos (quase meio século de vida!). Tudo bem, eu sei que não aparento ter esta idade, que estou ‘conservada’ (igual a pepino no vinagre), que ainda ‘bato um bolão’ e tudo o mais que minha modéstia me impede de dizer kkkkkkkkkkkkkkkkkkk, porém, é preciso aceitar que um dia ‘a casa cai’ pra todos nós e a ‘passagem’ é certa. Contudo, digo isto não com tristeza e sim, com alegria – com muita alegria, porque ainda estou viva e cada minutinho nesta terra é bem aproveitado por mim, como se fosse o último. E sabem por quê?! Porque quando Deus quiser (espero que demore) ele (o minutinho) será mesmo o último... Resumindo minhas Lindas (os), não percam tempo nem energia boa com quem não merece. Não supervalorizem o que tem pouca importância e se permitam viver feliz e intensamente. E, neste vai e vem de pensamentos entre a vida e a morte, eu escolho a vida, pois ela é coisa de Deus. Faça o mesmo e verás que a chance de tudo dar certo é de 99%. Bjks, sorrisão no rosto, força na peruca e vamu que vamu, porque ‘carro parado não pega carreto’. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Bannerbaixo2
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br