Sexta, 29 Maio 2015 13:26

Casamento não é brincadeira...

 

Olá meus amores, tudo bonzinho?! Espero que sim e que todas (os) tenham tido dias bacanas, apesar da pressão diária e das contas pra pagar no final do mês, enfim. Sentada aqui na frente do teclado e ouvindo uma conversa paralela do meu marido ao telefone – sim, porque nós mulheres conseguimos isto – nós fazemos 312 coisas ao mesmo tempo e ainda damos ‘pitaco’ na conversa que os maridos estão tendo, mesmo que não nos diga respeito (eu faço isto direto). Vamos ser sinceras, nós somos ótimas, né gurias?! Kkkkkkkk. Mas enfim, estava aqui pensando no quanto o casamento exige de nós (tanto da mulher quanto do homem) e o quanto é preciso ser amar e ter paciência para manter esta relação que de fácil não tem nadinha. Digo isto, pois sei que muitas famílias estão se desfazendo todos os dias e isto é triste. São pessoas que sonharam ter uma vida feliz e cheia de realizações, mas só encontraram desilusão. Eu confesso que, particularmente, tenho uma visão conservadora a respeito dos casamentos e defendo que a decisão de casar seja um ato racional, responsável e consequente, afinal de contas, ninguém sobe obrigado ao altar. Quando falo em casamento entendam-se todas as relações onde convivem juntas duas pessoas que se amam, e aí não importa se casaram na igreja de véu e grinalda e aquilo tudo que envolve uma cerimônia tradicional, ok?! Viveu junto tá casado e era isto, mas é preciso considerar que para qualquer união se formar ambos decidiram por construir esta relação com maturidade e assim, com maturidade é preciso preservar este casamento. Digo isto, pois hoje as pessoas se casam e se descasam como isto fosse a coisa mais natural do mundo! Não acredito que seja natural e penso que cada caso é um caso, porque tem gente que namora por 6 meses, se casam e estão juntos há 20 anos. Tem outros que se conhecem há 10 anos, se casam e o enlace não dura 6 meses. Nada contra quem decide se separar para ser feliz, pois este é um direito da pessoa, mas o que me impressiona é a incapacidade de alguns de exercitar a paciência e pôr em prática o amor.  Minha gente, o casamento pode ser qualquer coisa, menos algo fácil, porque homem e mulher são diferentes por natureza. Num relacionamento, muitas diferenças vão aparecer, e são aquelas originadas na formação de cada um - coisas simples… Por exemplo, um tem o hábito de tomar café pela manhã; o outro não. Um costuma jantar – arroz, feijão, carne, salada etc. O outro prefere um lanchinho. Tem aqueles que são organizados, separam meias, camisas, blusas, cuecas, calcinhas por cor, os sapatos ficam divididos entre os de uso para o trabalho, para ocasiões informais, para festas… Já tem ‘caras metades’ que não veem problema em deixar tudo misturado, esquecer a toalha molhada por em cima da cama, bebem água na boca da garrafa, ‘flatulam’ (pra não dizer peidam) na frente do outro (a), enfim. É um tendeu de emoções. E vou dizer pra vocês, muitas vezes são pequenas coisas destroem um casamento, pois com o tempo, estas pequenas diferenças tornam-se irreconciliáveis. Chega um ponto que um não tolera o outro. As brigas ficam cada vez mais frequentes e as separações são inevitáveis. E separar é a solução?? Depende... Infelizmente, na maioria das vezes, os problemas que causaram a separação acompanham as criaturas e aí, se casar de novo, talvez a relação não seja muito diferente da anterior. Resumindo, se não for traição (de toda ordem) o problema, ponha em prática o seu amor e lute pela relação que você optou ter. Este ‘negócio’ de ficar ‘brincando’ de casar não está com nada (minha opinião). Bjks, sorrisão no rosto, força na peruca e vamu que vamu!

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Banneronplay
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br