Sexta, 22 Maio 2015 13:46

Não se faça de vítima, sofrer faz parte...

 

Olá meus amores, esta semana (saída de TPM) estou com minha sensibilidade aflorada e, como é de praxe, minha sinceridade que já é característica, vem à tona com requintes de crueldade. Kkkkkk. Falei falei e não disse nada, né?! Então vou clarear, falar bem direto e como gosto – tô cansada de ver gente reclamando da vida, vivendo uma ‘sofrência’ eterna e achando que é a única pessoa no universo que sofre e que tem problemas. A verdade é que fico sem paciência pra muitas coisas quando estou neste período (TPM) e aí sai debaixo, porque o ‘verbo’ corre frouxo, as palavras vem à mente e os dedos só obedecem à ordem de digitar, quase que automaticamente. Digo ‘quase’, pois se digitasse (hoje) exatamente tudo o que penso, poderia ser muito ‘dura’ e não quero assustar ninguém. Mas vamos ser sinceras (os), como tem gente que gosta de se vitimizar e atribuir aos outros uma responsabilidade que é sua, não é?! Minha gente é preciso aceitar que a vida é feita de acertos, desacertos e os problemas não batem à nossa porta - eles invadem a nossa vida! E se formos observar, muitas vezes são as nossas atitudes que criam as condições ideais para as crises se instalarem. Contudo, por mais que façamos coisas que podem causar sofrimento, ninguém procura pela dor porque quer - ela simplesmente aparece e se instala em nossa alma. E quando a gente sofre, sofre mesmo. É um sentimento de dor que faz tudo perder o sentido. O emprego fica chato, os amigos se tornam intoleráveis, a família vira um peso, a escola/faculdade deixa de ser um sonho e vira um pesadelo, o relacionamento já não empolga mais e não raras vezes, perde-se o desejo de viver (parece dramático, mas é verdade). Entretanto, por mais que existam momentos em que nada faz sentido e tudo que o coração deseja seja ‘sumir do mundo’, é preciso sofrer com dignidade. Sim, porque ficar se lamentando de tudo, vendo a vida apenas por um prisma fúnebre, não ajuda a tirar ninguém do fundo do poço. Eu costumo dizer que, na dor, a gente tem que chorar mesmo, tem que externar o sentimento e deixar as lágrimas caírem. Porém, existe uma diferença entre viver este sofrimento e se comportar como vítima da vida. Tem gente que, no sofrimento quer ser o centro das atenções, quer ser mimado e passa a impressão que tem prazer de ser tratado como coitadinho. E o pior, se incomoda com a felicidade alheia, como se todo mundo fosse obrigado a compartilhar esta ‘sofrência’ descabida. Essas pessoas não aceitam a dor que é uma das condições da própria existência. Chorar e sorrir, viver e morrer são faces da vida, e quando a gente não aceita essa dinâmica, corre o risco de assumir o ‘complexo de vítima’, tornando a vida insuportável. E também a dos outros, porque gente que age como vítima incomoda os outros, vive reclamando, lamentando e sendo o inconveniente da vez. Portanto, repito - momentos de dor sempre existirão e não há porque fugir deles. O que faz a diferença é aceitá-los e compreender que nem sempre tudo funciona como gostaríamos, que parte dos nossos planos não se concretizarão, que perderemos pessoas que amamos, enfim. A vida é assim... A gente cai, se machuca, sofre, mas mesmo assim, temos que seguir adiante com otimismo e fé. Tudo só depende de nós, tanto para o mal, quanto para o bem viver. Bjks, sorrisão no rosto, força na peruca e vamu que vamu 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Banneronplay
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br