A principal reivindicação da categoria é que não haja mais surpresas na hora de receber o salário,

 

Na manhã de sexta-feira (7), os professores das Escolas Estaduais de Tramandaí fizeram um protesto na Praça da Tainha, localizada na Av. Emancipação, com a presença de cerca de 80 pessoas entre profissionais e alunos. A principal reclamação dos trabalhadores foi o pagamento parcelado dos salários do último mês, realizado pelo Governo do Estado.

Além da presença de professores e estudantes das escolas Estaduais de Tramandaí, o ato contou também com a participação de profissionais da escola de Imbé 9 de Maio, da Escola Rural de Osório, e com o Movimento Grito dos Estudantes, formado por alunos e e-x alunos da Escola Estadual Costa e Silva de Porto Alegre. O representante  do 13º Núcleo do Cpers - , professor Marcio Motta, também participou da manifestação, de acordo com ele, a principal motivação para o ato é que os salários voltem a ser pagos de forma integral, no entanto, há outras reivindicações da categoria, entre elas: contrariedade a PL 206, Lei de responsabilidade fiscal, que impossibilita reajustes pelos próximos 10 anos, contrários a LDO Reajuste Zero, na qual nenhum reajuste pode ser feito até 2017, sendo que a inflamação já está em 10% e tende a subir, contrários a mudança da licença prêmio para formação que indiretamente mexe no plano de carreira dos professores, contrários ao pacote enviado para assembléia que revoga a obrigatoriedade do Peblicito para realização de privatizações no Estado.

Como alternativas para pagar os salários, Motta cita ajuizar a dívida do Estado, combater a sonegação fiscal que já está em 7 bilhões, fechar as portas para isenções fiscais, que somaram 14,5 bilhões, dinheiro que as grandes empresas teriam de pagar ao governo em forma de impostos. “O governador Sartori, ainda poderia ter pedido empréstimo ao Banrisul, pois assim que os servidores receberam os salários parcelados, representantes do Banrisul entraram em contato oferecendo empréstimo, ou seja, havia dinheiro, mas o governador preferiu dever aos servidores que ao banco”.

Motta diz ainda que no dia 18 uma assembléia reunindo não só a categoria dos professores, mas as 42 entidades afetadas com o parcelamento dos salários será realizada para decidir se haverá ou não uma greve geral.

“Eu paguei o básico, o restante tive que deixar para pagar depois com juros, estou muito angustiada, sinto o clima tenso nas salas de aula”

A professora Cláudia Pereira estava no ato e segundo ela em quase 20 anos de profissão nunca tinha visto tamanho desrespeito com os servidores públicos. “É hora de irmos a luta, pois a última categoria que os nossos governantes pensam é a do professor”, diz.

Ela afirma ainda que precisou atrasar os pagamentos das contas em função do parcelamento. “Eu paguei o básico, o restante tive que deixar para pagar depois com juros, estou muito angustiada, sinto o clima tenso nas salas de aula”.

A professora Carla Jacinto que também compareceu ao ato diz que as decisões do Governo do Estado estão afetando, inclusive, o desempenho dos trabalhadores. “As aulas estão atrasando, não estamos dando o conteúdo da melhor forma porque precisamos reduzir os períodos para tentar receber o que é nosso por direito. Essa incerteza principalmente em relação ao próximo mês me faz ter vergonha do Estado”.

“Eu me coloco no lugar dos professores sabe, trabalham o mês inteiro e depois não sabem quando vão receber, imagina se fosse comigo, ou com alguém da minha família, ficaríamos em dificuldades, por isso, estou aqui hoje para apoiar essa causa”

O estudante J. P, 17 anos, diz que se preocupa bastante com o atraso dos conteúdos principalmente porque vai fazer o ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio, no entanto, acredita que a luta dos professores seja uma causa maior e por isso compareceu ao ato. “Eu me coloco no lugar dos professores sabe, trabalham o mês inteiro e depois não sabem quando vão receber, imagina se fosse comigo, ou com alguém da minha família, ficaríamos em dificuldades, por isso, estou aqui hoje para apoiar essa causa”.

Nessa terça-feira (11), o governador Ivo Sartori decidiu atrasar a dívida do Estado com a União e pagar o restante do salário dos trabalhadores até o mês de julho. Quanto ao salário de agosto ainda não há certeza se será pago integralmente.

As escolas Estaduais de Tramandaí seguem com o horário reduzido até o dia 18 de agosto, quando haverá uma paralisação geral nas escolas Estaduais e em Assembléia será decidido se os professores e os demais servidores Estaduais entrarão em greve ou não.

 

Com fotos Bruna

Publicado em Tramandaí

 

 

Não é possível afirmar que o problema foi causado pela Companhia de Tratamento, o certo, é que o trecho do encanamento afetado será substituído em uma parceria da Administração Municipal com a empresa terceirizada contratada pela Corsan

 

Os moradores da rua Presidente de Moraes esquina com a rua Suely Vacari, bairro São Francisco II, reclamam de alagamentos no local desde a conclusão da obra da Corsan – Companhia Riograndense de Tratamento, que foi finalizada há cerca de 20 dias. De acordo com eles, até os serviços serem realizados, a água baixava assim que a chuva ia embora, agora, os alagamentos seguem e já invadiram, inclusive, uma casa.

“Quando chovia tinha água acumulada, mas a gente conseguia passar, agora para eu ir até a esquina depois da chuva tenho que usar um macacão de pescador, a água é a cima do joelho”

 Segundo a moradora, Zilma Terezinha, 56 anos, que mora no local, há de 30 anos, o trecho citado não costumava alagar após o término da chuva, e agora a situação é totalmente diferente. “Quando chovia tinha água acumulada, mas a gente conseguia passar, agora para eu ir até a esquina depois da chuva tenho que usar um macacão de pescador, a água é a cima do joelho”, diz.

O morador Enedir Rodrigues Magnos, 67 anos, confirma a informação, de acordo com ele, a água, inclusive, tem invadido o pátio de casa. “Já reclamamos na Prefeitura, já falei com o pessoal da Corsan quando estavam fazendo o serviço nada adiantou. Terminaram a obra e deixaram a rua pior que antes”, reclama o morador.

Rogério Beretta, 42 anos, sofreu um acidente de moto, e perdeu a consulta que esperava há um mês em função do alagamento na rua Suely Vacari que aconteceu na semana passada. Além do desgaste na saúde, o prejuízo também foi financeiro, pois já que o local não costumava alagar, o morador deixou o carro estacionado na calçada e pela manhã a água já havia invadido o veículo. “Não tive nem coragem de ligar o carro, agora, é avaliar os danos, não tem o que fazer. Só queria garantias de que a nossa rua voltará a ser como era antes dessa obra”, reivindica Beretta.

De acordo com a gerente da Corsan de Tramandaí, Mariana Bockmann, o que está causando os alagamentos no local é a obstrução de um cano da rede pluvial, não é possível identificar como a estrutura foi obstruída, o certo é que será consertada em uma parceria entre a Administração Municipal e a empresa terceirizada contrata pela Corsan, dessa forma, o trecho do encanamento que está apresentando problemas será substituído para que não haja mais alagamentos. Ainda essa semana os trabalhos serão iniciados.

Publicado em Tramandaí

 

Vice-prefeito Clayton Ramos (PT), responde pelo executivo municipal durante o período de tratamento médico de Edegar Rapach

 

O prefeito Edegar Rapach (PMDB), de Tramandaí, está internado no Hospital Mães de Deus em Porto Alegre.

O prefeito está hospitalizado desde sexta-feira (7). Na ocasião, ele deu entrada com mal estar súbito. Edegar Rapach, 65 anos, ficou em observação médica e passa por uma série de exames, para elucidação diagnóstica sendo descartado qualquer risco à vida. E continua em acompanhamento médico para a normalização de seu quadro clínico.

O vice-prefeito Clayton Ramos (PT), responde pelo executivo municipal durante o período de tratamento médico de Edegar Rapach.

Esse é o quarto mandato de Rapach como prefeito de Tramandaí, o empresário, é natural de Maquiné e venceu pela primeira vez as eleições em 1992 quando governou até 1997. Ele também atuou como prefeito nos anos de 2011 a 2004, 2005 a 2008, e ainda está a frente da prefeitura atualmente, pois eleito novamente no ano de 2012. 

Publicado em Tramandaí

 

 

Essa semana o abrigo de uma parada de ônibus do bairro que estava em estado precário, terminou de ser derrubada pela Administração Municipal

 

O bairro Humaitá em Tramandaí é pequeno em tamanho, mas ‘gigante em problemas’, paradas caídas, ruas esburacadas com pouco ensaibramento e um valão com as margens cobertas por escombros e sujeira formam a ‘paisagem’ do local, que precisa urgentemente de melhorias por parte da Administração Municipal.

Desde domingo (2), um abrigo de parada do bairro Humaitá localizado na esquina da rua Fracisco Tomaz do Nascimento com a Travessa Janio estava inclinada, quase caindo, esse era um dos poucos abrigos do bairro que acabou sendo derrubado pela equipe da Secretaria de Obras e Limpeza Urbana, na quarta-feira (5) para evitar que desabasse em cima de alguém.

“Nós fomos esquecidos pelo poder público, e nós votamos igual aos outros, nós pagamos impostos igual aos outros, mas nada é feito pelo bairro Humaitá. A Administração Municipal conhece muito bem nossos problemas, há anos pedimos melhorias e só ouvimos promessas”

Logo atrás dos escombros da antiga parada, é possível ver um valão, cujo, as margens estão tomadas de grama, barro e lixo, de acordo com a comunidade, a Administração Municipal realiza a limpeza do valão de 8 em 8 meses, mas sempre deixa o serviço pela metade, ‘esquecendo’ o lixo acumulado no local, como conta o morador, Jocemar Trindade, que mora no bairro há 8 anos. “Esse valão é uma vergonha, além de demorarem para limpar, quando limpam ainda deixam todo o lixo ai na frente, o cheiro é insuportável. Ajudaria muito se recolhessem esses escombros, mas a solução definitiva para esses problemas seria colocar o encanamento ali certinho, 100 metros de cano já resolveriam nossa situação”, reivindica o morador.

Outro problema da comunidade são os buracos nas ruas de chão batido, o local não recebe saibro há muito tempo. “Nem lembro mais a última vez que colocaram saibro aqui, a Prefeitura só passa a máquina o que não resolve nada, quando a gente pede para por o saibro, eles dizem que está sem falta”, afirma o morador Crisitiano da Silva Joaquim, que mora há seis anos no bairro.

Devido aos problemas apontados a comunidade se sente abandonada, e muitos já perderam a esperança na Administração Municipal, como afirma o morador, Trindade. “Nós fomos esquecidos pelo poder público, e nós votamos igual aos outros, nós pagamos impostos igual aos outros, mas nada é feito pelo bairro Humaitá. A Administração Municipal conhece muito bem nossos problemas, há anos pedimos melhorias e só ouvimos promessas”, argumenta.

De acordo com o secretário de Obras e Limpeza Urbana, Antônio Rodrigues, o abrigo da parada caiu em razão das últimas fortes chuvas, o secretário diz que vai fazer o possível para iniciar a construção do novo abrigo ainda essa semana.

Ainda segundo o secretário, foi posto saibro no ano passado nas ruas citadas e a patrola foi passada recentemente o que melhorou a situação. Porém, se for a vontade da comunidade, Rodrigues garante que irá averiguar melhor a situação do bairro para ver se há necessidade de colocar mais ensaibramento.

Sobre os valos esse ano foram feitas duas limpezas, Rodrigues desconhece que os materiais retirados dos valos estejam sendo deixados no passeio público pelo funcionários da Prefeitura e afirma que vai verificar essa situação. O secretário garante também que em breve a rua Angélica Diehl, receberá repavimentação. 

Publicado em Tramandaí

 

A Subprefeitura de Mariluz está realizando duas obras de substituição de canos. Segundo o subprefeito Fernando Roxo, na segunda-feira (10), foram substituídos 8 metros na Avenida Nordeste, no Balneário Nordeste. “Os canos estavam quebrados e causando transtornos na região”, explica Roxo. Nesta terça-feira (11) iniciou a substituição de canos de ferro que estavam entupidos por canos de concreto mais largos na esquina da Avenida Paraguassú com a Rua São Leopoldo, no Balneário Mariluz. “Estamos trocando 16 metros da tubulação por canos de 30 centímetros de diâmetro”, complementa.

Publicado em Imbé

 

 

Convênio vai fortalecer a pesca cooperativa no sul do Brasil e contribuir para o monitoramento da população de golfinhos

 

A Transpetro e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) assinaram, nesta última sexta-feira (7), um convênio para a implantação do projeto ‘Botos da Barra’, que visa fortalecer a pesca cooperativa entre pescadores e botos no litoral norte do Rio Grande do Sul.

Em parceria com o Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos (Ceclimar) da Universidade, serão realizadas campanhas de educação ambiental para conscientizar moradores e turistas sobre a riqueza e a diversidade local. O litoral norte do Rio Grande do Sul possui oitenta por cento da diversidade de espécies de cetáceos identificados na costa brasileira.

A pesca cooperativa acontece no rio Tramandaí, na barra que une a praia ao município de Imbé, e está em risco de extinção devido à ocupação desordenada do local. Na beira do rio, na divisa entre os municípios de Tramandaí e Imbé, os pescadores contam com a ajuda dos botos para a pesca artesanal da tainha. A aparição dos mamíferos marinhos é sinal de que os cardumes estão nadando contra a corrente. De acordo com sinais emitidos pelos botos quando nadam atrás dos peixes, as redes são jogadas pelos pescadores. A ação é cooperativa pois os moradores garantem a pesca e, ao mesmo tempo, os botos conseguem se alimentar dos peixes que escaparam das redes.

Durante a assinatura do convênio, o biólogo coordenador do projeto, Ignácio Moreno, ressaltou que o projeto representa um marco histórico para a região:

“É a primeira vez que se concretiza algo sistematizado e institucional para gerar conhecimento e promover ações efetivas de preservação dos botos e de valorização das famílias que há três gerações vivem da pesca interativa com esta espécie de golfinhos”, afirmou Moreno.

Com o Botos da Barra também será feito, em parceria com a Associação de Pescadores de Tramandaí, o credenciamento dos pescadores artesanais que praticam a pesca cooperativa, assim como o monitoramento de sua produtividade pesqueira.  

Outra ação do projeto é monitorar a população de golfinhos da barra do Rio Tramandaí com a técnica de fotoidentificação, que possibilita a avaliação dos padrões de movimento, tamanho e dinâmica populacional destes mamíferos.

O Gerente de Responsabilidade Social da Transpetro, Romilson de Castro Madeira, destacou a importância das ações a serem desenvolvidas por meio do convênio, que visam assegurar a continuidade da pesca cooperativa e o sustento de dezenas de famílias:

“O projeto Botos da Barra retoma o compromisso social e de responsabilidade ambiental da empresa com o desenvolvimento local”. 

Publicado em Imbé

 

O prefeito Pierre Emerim recebeu em seu Gabinete a diretoria da Associação dos Estudantes do Município de Imbé (AESMI). O encontro ocorreu na tarde desta quinta-feira (6). O presidente Eduardo Farias estava acompanhado do funcionário da AESMI, Natan Brasil. Na pauta do encontro foram debatidos diversos assuntos, entre eles o passe livre estudantil e a viabilidade da construção de um abrigo no pátio da Prefeitura para os estudantes que utilizam o transporte escolar. Pierre disse que as solicitações terão o encaminhamento para serem solucionadas.

Publicado em Imbé

 

Numa iniciativa conjunta da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SDS), Conselho Municipal de Assistência Social e Centro de Referência de Assistência Social, ocorreu na quinta-feira (6), na sede da Associação dos Funcionários Municipais de Imbé (AFUMI), a IV Conferência Municipal de Assistência Social. Dezenas de pessoas participaram do evento, que teve os seguintes eixos estruturantes: 1 - Enfrentamento das situações de desproteções sociais e a cobertura dos serviços, programas, projetos, benefícios e transferência de renda nos territórios; 2 – O Pacto Federativo e a Consolidação do SUAS; 3 – Fortalecimento da participação e do controle social para a gestão democrática.

Também foram escolhidos os delegados para Conferência Estadual de Assistência Social e ebatidas as propostas por eixos temáticos à Conferência Estadual e Federal de Assistência Social. O evento contou com a presença de diversas autoridades, entre elas o prefeito Pierre Emerim e o secretário da SDS, Edison Luiz Rosa de Quadros, o Edinho.

Publicado em Imbé

 

Vagas para a final serão decidida neste sábado

 

Tramandaí - Neste sábado (8), foi realizado no Módulo Esportivo, os dois primeiros jogos das semifinais da 2ª Divisão, as duas primeiras equipes a entrar em campo, foram o Rio Grandense contra a equipe do Juventude, que jogava por dois empates. 

No primeiro tempo, a equipe do Rio Grandense, foi pra cima do Juventude querendo o gol, jogou a maior parte do tempo no campo de ataque, e construiu ainda na primeira etapa o placar de 1x0, com Willian. No segundo tempo, o Juventude melhorou, e estava muito próximo do gol de empate, mas o goleiro Mano estava em um bom dia, e conseguiu manter o empate, a equipe do Juventude  não conseguiu criar, devido ao desfalque importante como Mateus Colombo, e a equipe do Rio Grandense, com a vitória, tem a vantagem de jogar por um empate na próxima partida.

O segundo jogo foi entre Expresso Peñarol e Nova Sul. O primeiro tempo deste jogo, foi favorável ao Expresso que encerrou o primeiro tempo vencendo com o placar de 2x0, Luiz Paulo e Adão foram os autores. No segundo tempo, quem voltou focado no jogo, foi a equipe do Nova Sul, a equipe passou a dominar o meio campo, e explorar as pontas, Xandinho marcou o primeiro para o Nova Sul 2x1, Adriano empatou o jogo 2x2, Beto marcou duas vezes 4x2, e Fernando fechou o placar 5x2, dando números finais a partida. No próximo jogo o Nova Sul pode perder até por 3 gols de diferença, que se classifica.

Os jogos de volta serão disputados neste sábado (15) no Módulo Esportivo, a partir das 13h30.

Publicado em Esportes

 

 

A Força Jovem Universal está movimentando os campos do Rio Grande do Sul. A Copa FJU Gaúcha de futebol terá rodada decisiva neste fim de semana, com os jogos de volta das oitavas de final. Aqui no Litoral, Tramandaí e Capão da Canoa voltam a se enfrentar neste sábado (15), às 13h no campo do bairro Cruzeiro do Sul, valendo vaga nas quartas.

O jogo é muito esperado pelos jovens. Depois de perder 3 vezes para Tramandaí na fase regional, os caponenses conseguiram uma grande vantagem do jogo de ida, em  Capão da Canoa, ao vencer por 4 a 0. Para ficar com a vaga, o time da FJU Tramandaí precisa vencer no tempo normal e também na prorrogação, não importando o saldo de gols. Já Capão joga pelo empate.

Publicado em Esportes
Pagina 1 de 4
Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Banneronplay
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br