A Administração Municipal através da Coordenação de Combate a Endemias e ao mosquito Aedes aegypti da secretaria de Saúde  disponibiliza hoje de 15 agentes e tem a coordenação da enfermeira Fernanda Lima.

Nesta semana tem continuidade o trabalho também junto às escolas municipais de Educação Infantil, com palestras e orientações de como combater o mosquito.

Os alunos participam de atividades para que possam reconhecer o mosquito da dengue, e após a palestra e atividades recebem uma certeirinha de agente mirim de combate ao mosquito.

Segundo a enfermeira Fernanda Lima, o objetivo é que toda a população receba informações sobre como auxiliar no combate ao mosquito e as crianças são muito importantes nesta etapa do trabalho, pois ao passarem para os pais em casa o que aprenderam na escola estão atuando como multiplicadores da informação e prevenção.

O programa ainda dispõe de um folder contendo informações sobre como evitar a contaminação e sintomas que indiquem a dengue, zika e chikungunya.

Para mais informações ligue para o número do Departamento de Vigilância (51) 3684.9052.    

 

Publicado em Tramandaí

 

A Administração Municipal de Tramandaí através da secretaria de Educação e Cultura está realizando obras de melhorias no espaço físico da Escola Municipal de Ensino Fundamental Thomaz José Luiz Osório, localizada no bairro Indianópolis.

Faz parte das melhorias a substituição da cobertura do 2º pavimento por laje de concreto armado, reforma no sistema pluvial do ginásio, pintura interna nas salas que terão intervenção pela obra, troca de todo o sistema elétrico do 2º pavimento com a instalação de novas luminárias e a melhoria na distribuição dos maquinários da cozinha com a instalação de tomadas específicas para cada aparelho.

Sob a direção da professora Catia Miguel, a escola atende atualmente  390  alunos  nos turnos da manhã e tarde, do 1º ao 9º ano. As obras devem estar concluídas em breve.

Publicado em Tramandaí

 

A Administração Municipal de Tramandaí através da secretaria de Educação e Cultura está realizando obra de melhorias no espaço físico da Escola Municipal de Ensino Fundamental Marechal Castelo Branco, localizada no bairro Tiroleza.

Faz parte das melhorias fechamento das laterais do ginásio de esportes, reforma no sistema pluvial do ginásio,  construção de nova escada de acesso ao 2º pavimento, construção de elevatória de reservatório para reserva de incêndio e construção de sistema de drenagem pluvial do pátio.

Sob a direção da professora Nara de Lima, a escola atende atualmente  419  alunos  nos turnos da manhã e tarde, do 1º ao 9º ano. A obra deve estar concluída em breve.

Publicado em Tramandaí

 

Comitê que conta com a participação de membros representativos de secretarias e conselhos municipais, Delegacia de Polícia, Brigada Militar, Ministério Público, Procuradoria Jurídica da Prefeitura de Tramandaí.

 

Na manhã de sexta-feira (8), o prefeito Edegar Rapaki e o vice-prefeito Clayton Ramos receberam os integrantes do Comitê de Estudos e Organização do Plano Municipal de Enfrentamento a Violência e Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes de Tramandaí.

Durante o encontro que ocorreu no gabinete do prefeito Edegar Rapaki, a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente - COMDICA, Cristiane Müller, fez a entrega do modelo de Plano Municipal de Enfrentamento a Violência e Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes de Tramandaí, modelo de Ficha de Atendimento de Violência Doméstica, Sexual e/ou outras Violências em Crianças e Adolescentes e modelo do projeto de lei que dispõe sobre a instituição da semana do dia 18 de maio como a Semana Municipal de Combate ao Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes.

O Comitê que conta com a participação de membros representativos de secretarias e conselhos municipais, Delegacia de Polícia, Brigada Militar, Ministério Público, Procuradoria Jurídica da Prefeitura de Tramandaí e entidades voltadas ao atendimento da criança e adolescente vítima de violência realizou reuniões desde o mês de julho de 2015 e concluindo agora o estudo fez a entrega ao executivo municipal.

O prefeito Edegar Rapaki agradeceu a dedicação dos integrantes do comitê de estudos e organização e falou que a próxima etapa será o encaminhamento do Plano e Projeto de Lei ao Legislativo Municipal para aprovação.

Publicado em Tramandaí

 

Atleta fez parada em Tramandaí na última semana e não conseguiu realizar palestra gratuita

 

Conhecer cada pedacinho do país, sem dinheiro e em cima de uma bicicleta é o sonho de José Maria Paranhos, 46 anos, natural de Uruguaiana. O atleta já percorreu 1480 cidades dos 27 estados do Brasil, e ainda segue pedalando. Em cada Município que visita o ciclista procura fazer palestras gratuitas levando para os estudantes mensagens de superação, respeito e amor ao próximo. Na última semana, Paranhos esteve em Tramandaí mas não conseguiu repassar suas experiências aos estudantes das escolas Municipais.

“Foi muito difícil tomar essa decisão de ir viajar sem o meu amigo que era um verdadeiro irmão para mim, mas decidi ir por nós dois, esse era o nosso sonho”

A aventura de Paranhos começou em 1992 quando ele e o amigo Diego Henrique, vulgo DHP decidiram largar tudo e viajar pelo país de bicicleta buscando conhecer a diversidade de culturas e ver a beleza e tristeza escondida em cada canto do Brasil. Antes mesmo de começar a viver este sonho, uma tragédia adiou a viagem, DHP foi assassinado em um assalto quando voltava de um projeto social que fazia no morro Santa Tereza em Porto Alegre. Mesmo assim, Paranhos decidiu seguir com o plano e após cerca de 2 anos de preparação psicológica e física, ele saiu do emprego de operário e partiu para a incrível viagem em 1995, com o equivalente hoje a R$500 no bolso e uma ideia na cabeça: conhecer as peculiaridades do país em cima de uma bicicleta. “Foi muito difícil tomar essa decisão de ir viajar sem o meu amigo que era um verdadeiro irmão para mim, mas decidi ir por nós dois, esse era o nosso sonho”, afirma Paranhos.

“Independente de partido político, vi em Brasília muitas pessoas que esbanjavam dinheiro, e o que sobrava para eles faltava para as famílias do Nordeste e Interior da Bahia, por exemplo, isso foi muito triste”

Durante 18 anos, o ciclista conheceu as 1480 cidades dos 27 Estados brasileiros e se deparou com ‘dois Brasis’, um formado por engravatados de carros do ano, que viviam em mansões e pouco se importavam em colaborar com o próximo. No outro, havia famílias inteiras morando em casas de barro e palha, que mal tinham água e comida e esses dividiam o pouco o que tinham com os que precisavam. “Independente de partido político, vi em Brasília muitas pessoas que esbanjavam dinheiro, e o que sobrava para eles faltava para as famílias do Nordeste e Interior da Bahia, por exemplo, isso foi muito triste”.

Entre as histórias mais marcantes que vivenciou foi a de uma família do Vale de Jequitinhola (mais conhecido como Vale da Miséria) localizada na divisa do interior de Minas Gerais com a Bahia, na casa de pau a pique, não havia energia elétrica ou água potável, porém, os moradores esbanjavam em solidariedade e amor ao próximo. “Quando bati naquela casa eu estava exausto e um senhor me recebeu, o seu semblante era envelhecido e cansado como o de alguém que já trabalhou muito na vida. Ele me ofereceu um copo de água embarrada e salobra, e se desculpou pela qualidade, mas era tudo o que tinham e me deu um prato de comida. Eu contei toda a minha história, falei sobre o assassinato do meu amigo. Ele disse que entendia, baixou a cabeça e me levou até os fundos do terreno ali havia dois túmulos feito por ele mesmo. O homem tinha enterrado ali dois filhos que morreram por um outro tipo de violência que ainda mata muitos brasileiros: a fome. Sou eternamente grato a eles, seu Francisco e dona Mariana, jamais esquecerei aquele copo de água barrenta, ali estava uma das maiores experiências de solidariedade que se pode ter”.

Outro momento emocionante foi quando Paranhos precisou dormir em baixo de um viaduto em São Paulo, ele fez amigos que o alertaram sobre os perigos da rua e disseram que ali o principal era a humildade e o respeito. Para que o ciclista se sentisse mais seguro alguns moradores de rua ofereceram o único barraco que tinham, feito com plástico para guardar a bicicleta evitando assim que a bike fosse roubada. “Eu dormi a noite inteira com um olho aberto e outro fechado, e novamente me surpreendi com a solidariedade das pessoas e todo cuidado e carinho que tiveram comigo e com a bicicleta”.

Quando já estava a 10 anos viajando sozinho, o atleta ganhou uma companhia, ele decidiu adotar o Bambino um filhote de vira-latas (mistura de York com Terrier), primeiro o filhote viajou na mochila do ciclista e após adulto um veterinário fez uma casinha que foi encaixada na garupa da bicicleta e doou a Paranhos. O pequeno morreu após oito anos de muitas aventuras ao lado do amigo.

O plano inicial do ciclista era primeiramente viajar todo o Brasil e depois começar a fazer palestras contando suas experiência nas escolas, mas durante a viajem, a convite de diversas autoridades dos municipais por onde passou, decidiu antecipar o projeto e foi muito bem recebido pelos estudantes.

“Percorri 1480 cidades por todo o Brasil, e justo aqui no meu próprio Estado, na cidade de Tramandaí eu tentei e não consegui fazer uma palestra gratuita que seria fundamental para orientação dos estudantes”

Após dois anos de descanso, o ex-operário, na segunda-feira (4) resolveu ‘pegar a estrada’ novamente, viajando agora por todo o Rio Grande do Sul de bicicleta e tendo como prioridade dividir suas experiências e aprendizados sobre as diferentes culturas do país com os estudantes. Tramandaí deveria ser a segunda cidade em que o atleta faria a palestra, no entanto, em função da burocracia não foi possível que os alunos participassem da atividade. “Percorri 1480 cidades por todo o Brasil, e justo aqui no meu próprio Estado, na cidade de Tramandaí eu tentei e não consegui fazer uma palestra gratuita que seria fundamental para orientação dos estudantes”.

De acordo com a secretária de Educação e Cultura, Liane Freitas, o calendário pedagógico das escolas municipais é planejado em dezembro e por isso é preciso avisar sobre qualquer mudança no cronograma com antecedência para que possam ser feitas alterações. Além disso, a secretária disse que “o atleta não apresentou referências, e não informou a sua formação habilitada para ter acesso às crianças”.  “Eu não sabia quem ele era, qual discurso faria, é preciso muito cuidado para deixar um desconhecido entrar nas escolas e conversar com os nossos estudantes”, salientou a secretária. Na palestra além de falar sobre as peculiaridades do país, o ciclista ressalta que a única forma de diminuir a violência é focando na educação. “Muitas vezes a pessoa é abordada por um homem armado e acontece um assalto ou uma tragédia maior. Nessa hora, é preciso se perguntar.  – O que eu to fazendo para evitar que as crianças virem bandidos? Eu sei que estou fazendo alguma coisa e essa sensação faz a vida valer apena”, conclui Paranhos. O atleta aproveita a oportunidade para agradecer ao secretário de Turismo e Desporto Rojoel Amaral que lhe proporcionou as refeições e hospedagem no período em que esteve em Tramandaí. 

Publicado em Tramandaí

 

 

Entre os encaminhamentos feitos na Audiência Pública estão uma maior integração entre o poder público e o setor privado

 

Mais de 150 pessoas lotaram a Câmara de Vereadores de Tramandaí na noite de sexta-feira (8), para participar da Audiência Pública sobre a criação da Rota Turística do Litoral Norte.

Durante o evento foi apresentado os principais objetivos e instrumentos do projeto de lei 267/2015 que cria a Rota Turística do Litoral Norte. Para o deputado Estadual, Gabriel Souza, um dos principais pontos da lei está em permitir que o poder público faça parcerias público-privadas para fortalecer o turismo e, por consequência, a economia da região.

A reunião contou com a presença de Tiago Correa, coordenador do Fórum Regional de Turismo, que fez uma apresentação sobre o Fórum. Segundo ele, a lei ajudará a consolidar o turismo no Litoral Norte, estimulando a oferta de novos segmentos.

Entre os encaminhamentos feitos na Audiência Pública estão uma maior integração entre o poder público e o setor privado, o fomento das áreas musical, teatral e artesanato local, uma maior preparação da população para atendimento dos turistas, a criação de campanhas de marketing bem estruturadas, maior apoio ao turismo rural, padronização e profissionalização de quiosques, entre outros.

Também se pronunciaram o deputado federal Alceu Moreira, o prefeito de Xangri-la e presidente da AMLINORTE, Cilon Silveira, o prefeito Edegar Rapach, de Tramandaí, o prefeito de Mostardas, Alexandre Galdino, o vereador Enio Dick, o palestrante da FUG/RS, Paulinho Oliveira, a moradora Maria Helena, a jornalista Denise Coelho, o representante da EMATER, Dirlei Matos de Souza, e a ex-secretária de turismo de Capão da Canoa, Eliana Cunha.

Publicado em Tramandaí

A Campanha Nacional de Vacinação da Influenza 2016 (vacinação contra a gripe) poderá ser antecipada, iniciando no dia 25 de abril. Mas para que realmente inicie nesta data é necessário que o Governo do Estado encaminhe as doses da vacina até o dia 22 de abril. Caso contrário, a campanha terá início no dia 30 de abril, dia de mobilização nacional da vacinação. O término da campanha será no dia 20 de maio.

A vacinação é gratuita, mas somente atenderá os seguintes grupos: idosos a partir dos 60 anos de idade, trabalhadores da área da saúde, povos indígenas, crianças com idade entre 6 meses e 5 anos, gestantes em qualquer idade gestacional, puérperas (mulheres até 45 dias pós o parto), portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, presos e funcionários do sistema prisional.

Conforme a responsável pelo setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, enfermeira Carolina Miranda, em Imbé, a meta é imunizar 80% do total de 6.435 pessoas classificadas no grupo de risco. A imunização ocorrerá na UBS Mariluz e Posto 24 Horas, de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h. No “Dia D” a vacina estará disponível na UBS Santa Terezinha e no ESF Nova Nordeste.

Publicado em Imbé

 

A Prefeitura de Imbé está fazendo reposição de calçamento em dois pontos da cidade. No Balneário Mariluz, os trabalhos ocorrem na Avenida Santa Terezinha, entre a Avenida Paraguassú e a praia. Já no Centro, os trabalhos ocorrem na Rua Getúlio Vargas, entre as avenidas Caxias do Sul e São Luiz.

 

Publicado em Imbé

 

A Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (SMLU) está fazendo a pintura do meio fio ao longo da Avenida Paraguassú, no Centro. Conforme o secretário Manoel Gonçalves Duarte, o Nezinho, os trabalhos visam sinalizar melhor a via, facilitando as condições aos motoristas. A pintura ocorre periodicamente, sempre após a limpeza da avenida.

Publicado em Imbé

    Vó Rosa ao observar a área que possui o pátio, com a parceria da EMATER, na pessoa do engenheiro agrônomo, Lino Moura, em meados de janeiro de dois mil e quatorze iniciamos o processo de elaboração e execução da horta escola. Por compreender que é importante desenvolver com as crianças atividades concretas relacionadas ao meio ambiente. Proporcionando aos pequenos um contato com as hortaliças, conscientizando-os de que é possível plantar, cultivar,colher e consumir as verduras e  num pequeno espaço,  sem  agrotóxicos, estabelecendo uma relações entre a natureza e suas  diversas formas de vida, como sugere o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil,  .Construindo assim o conceito de que as verduras e hortaliças  apresentam um ciclo de vida, que não é simplesmente só comprá-las e consumi-las, porém manter uma alimentação saudável e nutritiva, além de muito divertida.Em dois mil e quinze Imbé foi uma das únicas cidades gaúchas a receber o certificado do Programa Escolas Associadas da Unesco é a sigla para Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

  O PEA (Programa das Escolas Associadas) da UNESCO premiou os seguintes projetos da Secretaria Municipal de Educação (SMEC): Horta da Escola Municipal de Educação Infantil Vó Rosa, Oficinas Pedagógicas da Escola Municipal de Ensino Fundamental Estado de Santa Catarina e a Orquestra Sinfônica Municipal (OSMI). Selo esse que nos deixa muito orgulhosa, enquanto educadora e à frente da direção da escola Vó Rosa, por termos nosso trabalho reconhecido internacionalmente. Além de contarmos constantemente com o apoio da administração do prefeito Pierre Emerim, e da SMEC que destacam “o orgulho por este reconhecimento que nos mostra que estamos cada vez mais no caminho certo no rumo da educação na nossa cidade. Somos a única cidade do Litoral Norte do Estado a receber este reconhecimento.”

A equipe diretiva, as professoras  e educadoras da  E.M.E.I. VÓ Rosa entendem que a educação infantil vai além do cuidar,assim  em pequenos grupos, as crianças  acompanham o desenvolvimento das hortaliças,verduras e leguminosas na horta escolar.  A turma do Maternal 2, composta por crianças entre 3 anos a 4 anos  fizeram nesta segunda –feira ( 04.04.16)fez a colheita  de vagens  e a entrega da mesma às manipuladoras de alimentos. Os alunos se divertem muito sentido –se envolvidos com a atividade, depois consumiram durante o almoço. Assim socializando as experiências e emoções. Afirmam a diretora Fabiana Assunção Santos dos Santos, a Vice-diretora Jussinara Terra que deste modo o educando construirá um olhar diferenciado aos hortifrutigranjeiros saudáveis, levando esse conhecimento para sua família que poderá construir uma horta orgânica sustentável num pequeno espaço no seu quintal. 

Publicado em Imbé
Pagina 1 de 4
Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Bannerbaixo2
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br