Segunda, 05 Janeiro 2015 18:25

Editorial - 974 A corrupção exige consequências

 

O juiz da Operação Lava-Jato revela que uma planilha do doleiro preso envolve dados de 750 obras de diferentes setores, supostamente envolvidas em corrupção. A Polícia Federal indicia 33 envolvidos no cartel dos trens de São Paulo. Sonegadores são presos no Sul. União, estados e prefeituras e empresas estatais são palcos da mais descarada roubalheira. A Petrobras, nossa maior estatal e uma das principais petrolíferas do mundo, está com a imagem arranhada e começa a sofrer restrições nos mercados em função dos escândalos ocorridos em suas entranhas. A economia nacional só vai bem nas palavras do ministro da Fazenda, pois a indústria está produzindo pouco, demitindo muito, e o crescimento do pais é nulo. Até a previsão de alta do PIB (Produto Interno Bruto) do próximo ano está comprometida; foi reduzida de 2% para 0,8%. A sensação é de que caminhamos para o colapso.

As notícias sobre corrupção são estarrecedoras e respingam – em proporções maiores ou menores – em toda a classe política, há muito tempo descaracterizada em ideologia ou posicionamento, mercê do regime de barganha estabelecido, onde os cargos e recursos governamentais são moedas de troca por votos parlamentares. O Legislativo perdeu sua função fiscalizadora e os partidos tornaram-se meros coadjuvantes, muitos deles hoje manchados pela nódoa da corrupção. Milhões que deveriam custear serviços públicos de direito da população – Saúde, Educação, Segurança Pública e outros – são desviados para custear campanhas eleitorais, engordar contas numeradas em paraísos fiscais e fazer a boa vida da malfadada corte.

Os trabalhos que a Polícia, o Ministério Público e a Justiça Federal vêm desenvolvendo na identificação dos casos de corrupção são do mais alto interesse nacional. É preciso, no entanto, que as apurações levem a reais consequências. Os corruptos de todos os níveis devem ser identificados, processados e submetidos a elevadas penas, sem gozarem dos múltiplos benefícios e recursos que incentivam a impunidade nacional. Esses indivíduos e toda sua rede precisam ser desmascarados e ter seus bens seqüestrados para ressarcir os cofres públicos e o povo, sem prejuízo do processo criminal. É preciso todos saberem que o Brasil tem leis e – o principal -, que essas leis são efetivamente cumpridas. Do contrário, não há democracia que agüente...

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Banner Lateral Claro

Banner Agafarma
Banneronplay
ENDEREÇO: TELEFONES: E-MAILS: Desenvolvido por
Rua Siqueira Campos, 432
Tramandaí - RS
51. 3684.3033
51. 3661.3505
 redacao@jornaldimensao.com.br