loader
Quem nunca errou que atire a primeira pedra

Quem nunca errou que atire a primeira pedra

Olá meus amores, em tempos de redes sociais onde todo mundo é ‘juiz’ do comportamento alheio, vale fazer a pergunta que não quer calar: Quem nunca errou nesta vida? Quem nunca se equivocou com sentimentos, palavras ditas e julgamentos feitos sobre pessoas que sequer conhecia direito? Por mais que não queiramos admitir, todos nós já erramos e, muitas vezes, não foi nem por maldade, mas por inexperiência mesmo, por imaturidade, enfim. É fácil errar e muito difícil admitir, mas julgar os erros alheios – ah, isto é barbadinha. Basta olhar em volta pra ver as coisas acontecerem – nunca vai faltar aquela ‘amiga’ te julgando porque tu te apaixonaste pelo cara errado e agora sofre como uma condenada, mas a mesma vive num casamento infeliz e ‘posa’ de mulher realizada e que vive no ‘país de Alice’ (aquele das maravilhas). Também não será difícil encontrar um amigo que te censure e diga que não soubeste criar a tua filha, porque ela engravidou sem ter casado antes, mas ele, como se vivesse em estado de ‘amnésia seletiva’ se esqueceu da amante que sustenta a não sei quantos anos. Há ainda aquelas pessoas que nem te conhecem direito e saem falando mal de ti para a cidade inteira, pelo simples fato de seres feliz – isto mesmo... tem gente que se incomoda com a felicidade alheia. E olha que não é porque tu tens carro bom, casa bacana e te veste mais ou menos, não! Elas te invejam, julgam e apedrejam, por terem inveja da tua condição de ‘pessoa feliz’, tamanha a pequenez da alma que possuem. Muito triste mesmo... Todo mundo erra minha gente, seja do tamanho que for. Eu mesma erro e muito, quando insisto em dizer tudo o que penso (emoção acima da razão), pois muitas vezes sou ‘cruel’ com as palavras e, na intenção de ajudar, acabo magoando pessoas. É um erro ‘menor’? Sim, pode ser um erro ‘menos’ grave, mas não deixa de ser um erro que precisa ser corrigido. O fato é que somos todos humanos, passíveis de erros, mas não somos donos da verdade a ponto de julgarmos quem quer que seja. Quem sou eu, ou quem é você para julgar alguém? Todos caminhamos com as nossas respectivas bagagens, e nelas, certamente, não existem apenas as melhores coisas da vida, ou os melhores sentimentos. Mais do que acertos, ali estão todos os nossos erros, e por mais que nos façamos de desentendidos, sabemos e lembramos de cada um deles. E não precisamos fugir dos erros, pois é errando que aprendemos a acertar. Além de tudo, tem um ganho importantíssimo, pois quando se erra cresce a tolerância aos erros dos que vivem ao nosso redor e fica menos provável ‘atirar uma pedra’ na primeira vacilada de alguém que você conheça. Não falo nesse texto de nenhum tipo de ato criminoso, isso entraria em outro contexto. Tudo que tento expor trata de erros que todos, digo todos mesmo, estamos sujeitos a cometer. Se você errou tente entender o que te levou a isto e procure uma alternativa que te devolva a vida alegre e sem culpa. Se você está próximo a quem errou procure ajudar, seja com o ombro amigo, ou com troca de experiências. Saiba ouvir e dar palavras que ajudem a orientar e não desesperar. E o mais importante, não seja hipócrita, nunca julgue e não tente impor suas ideias, pois nem sempre você tem razão - aceitar isso é sinal de respeito ao próximo. Bjks no coração, força na peruca e vamo que vamo, porque carro parado não pega carreto.