loader
Nem tudo vale a pena...

Nem tudo vale a pena...

Hoje me peguei pensando em uma frase antiga e muito bonita que diz: “Tudo vale a pena se a alma não é pequena”. Gente - olha que coisa mais linda é esta frase! Lindíssima... Mas, porém, contudo, entretanto, todavia e infelizmente, esta não é uma verdade absoluta, pois há casos em que mesmo a gente tendo uma alma do tamanho do universo o ‘negócio’ não rende. E olha que eu sou uma pessoa mega otimista e que sempre vê o melhor lado possível em tudo, mas não dá pra fazer de conta que o mundo é perfeito e colorido, quando nos deparamos com situações e/ou pessoas que simplesmente são incompreensíveis e que não valem a pena meeeeesmo. Nesta vida tão curtinha e linda não podemos perder tempo e muito menos energias boas em coisas ruins. Aí vocês vão me perguntar como saber se a ‘coisa’ é ruim, né? E eu digo, por experiência própria – tudo o que não nos faça sentir bem é muito ruim, mesmo as pequenas coisas, como por exemplo: ficar horas escutando lamentações de gente pessimista; comprar um sapato que aperta os calos só para parecer chick (todo mundo tem um); trabalhar em local que não nos realiza profissionalmente; comer só alimentos crus para parecer mais jovem (ia tentar, mas desisti); ficar cuidando dos filhos da irmã quando marcou de sair com as amigas (os); manter um relacionamento sem amor; se endividar inteira (o) só para se sentir no grupo dos mais 10 da cidade; não comer sorvete porque engorda; tomar remédio pra dormir e acabar ‘viciada’ (eu passei por isto e consegui me livrar do Rivotril); enfim. São tantas as coisas que poderia encher esta página com exemplos e situações adversas que somadas podem nos fazer muito infelizes ao longo do tempo. Eu sei que alguns até podem pensar que estou exagerando, mas avalie bem a sua vida e reflita sobre isto que estou dizendo – tenho certeza que muita coisa pode ser mudada no seu dia a dia. E mudada para melhor! É claro que às vezes não é fácil aceitar que o convencional nem sempre é o certo pra nós, porém é preciso que coloquemos a nossa felicidade em primeiro lugar sempre, pois não dá pra rebobinar a ‘fita’ e fazer voltar o tempo. A vida não para minha gente - simples assim. Busque uma motivação especial e não fique dando murro em ponta de faca, pois nem toda água mole consegue furar a pedra de tanto bater. É preciso ser realista e ‘encarar de frente’ tudo o que se apresenta do jeito que é, mesmo sabendo que muitas das coisas não são como gostaríamos que fossem. Um exemplo bem ‘bacana’ disto tudo que pretendo dizer com tanta falação é o caso de uma amiga muito querida que começou um relacionamento com um homem viciado em drogas. O negócio é que esta mulher apaixonada acreditou que pudesse ‘tirar’ o sujeito do mundo da drogadição (cocaína e crack). Tá, ok, ela pensou que podia mesmo dar certo, só que não deu (porque ele não quis) e ela sofreu como uma condenada e foi obrigada a sair da relação. Até aí tudo bem. Só que ela saiu se sentindo fracassada e isto não é justo, porque não podemos nos sentir responsáveis por ações que não dependem diretamente de nós. Ou seja, podemos fazer o nosso melhor, mas se o caso for perdido não tem jeito e nem boa vontade que chegue a tempo, principalmente em se tratando de ser humano (caixinha de surpresas). Basta aceitarmos que certas coisas e/ou pessoas não valem a pena e pronto. Cabeça erguida e barco adiante, mas com dignidade, sorrisão na cara e fé em Deus. Por hoje era isto. Bjks no coração, força na peruca e vamo que vamo, porque carro parado não pega carreto.